EUA | Vídeo-instalação | Estreia nacional

 

Ryan Trecartin (1981) é um dos mais inovadores artistas a trabalhar em vídeo na actualidade. Os filmes de Ryan Trecartin são uma mistura de artes performativas, sitcoms e hipnóticas colagens digitais, como se fossem o resultado de uma colaboração entre Bosch e Keith Haring, ou como se o Facebook tivesse tido um pesadelo.

Filmado num antigo templo maçónico em Los Angeles – um labirinto de cinco andares de salas grandes e cavernosas, semelhante a um centro de convenções sem janelas – “Temple Time” desenrola-se como uma expedição de um grupo de amigos, num filme de terror, a um terreno de acampamento selvagem. Explorando uma ideia alternativa de uma região selvagem assustadora, as personagens falam sobre o que vêem em vez de como se sentem, dando a impressão de que tudo o que encontram é uma descoberta. Para algumas personagens, essas descobertas surgem como memórias de acontecimentos que estão prestes a repetir-se – o passado e o futuro parecem ocorrer simultaneamente através de camadas sobrepostas de realidade. O uso de diferentes tecnologias de captura de vídeo – incluindo câmeras portáteis, drones e câmeras de ação GoPro montadas nos corpos dos actores – oferece inúmeras perspectivas e pontos de vista, reforçando a exploração das descontinuidades cinematográficas de Ryan Trecartin.

Trecartin colabora com actores provenientes da sua família ou círculo de amigos, para operar sofisticadas manipulações digitais com materiais retirados da Internet e da cultura pop, animações selvagens e estetizantes cenários e performances. O seu trabalho despoleta mundos onde a cultura consumista é amplificada até atingir qualidades absurdas ou proporções niilistas, onde as personagens procuram encontrar um sentido para as suas vidas. Com um uso virtuoso de cores, formas, actuações histéricas e montagens alucinantes, produz sublimes efeitos que se aproximam a uma desconhecida e verdadeira forma da realidade.

 

Temple Time, 2016

Digital video, 5.1 soundtrack, duration 54:32, 3D Animations with Rhett LaRue
© Ryan Trecartin
Courtesy the artist, Regen Projects, Los Angeles and Sprüth Magers

Próximos Eventos

ler mais
  • O CARRO FALANTE

    16 junho 2024 — 18 junho 2024
    Wiener festwochen

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +
  • BoCA Summer School: Corpo e Natureza

    06 julho 2024 — 07 julho 2024
    MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia

    COLETIVO HUNI KUIN

    No workshop "Corpo e Natureza", o coletivo Huni Kuin propõe uma prática e reflexão acerca do papel da arte no processo de fortalecimento de corpos na sua sociedade. Durante a formação, cada corpo assumirá diferentes faces: ora instrumento, ora embarcação coletiva, ora suporte para intervenção artística, simbólica e comunicativa com a natureza através da descoberta da pintura.

    +
  • BoCA Summer School: Cantos na Cosmovisão Huni Kuin

    06 julho 2024 — 07 julho 2024
    MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia

    COLETIVO HUNI KUIN

    No workshop "Cantos na Cosmovisão Huni Kuin", o coletivo Huni Kuin propõe uma experiência imersiva que se relaciona com a cultura musical do seu povo, pensando a voz e a melodia enquanto veículos e instrumentos para agir no mundo, constituir corpos e viver bem.

    +
  • TERRA COBRE

    18 julho 2024 — 19 julho 2024
    Festival dos Canais

    JOÃO PAIS FILIPE & MARCO DA SILVA FERREIRA

    Nova criação do artista sonoro João Pais Filipe e do dançarino Marco da Silva Ferreira que cruza a arte chocalheira tradicional da vila de Alcáçovas, no Alentejo, com práticas artísticas contemporâneas.

    +
  • O Carro Falante

    06 setembro 2024 — 07 setembro 2024
    Nowy Teatr

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +
  • O Carro Falante

    09 outubro 2024 — 10 outubro 2024
    HAU Berlim

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +