MUTANTES – entre o teatro e o museu

Procuramos a urgência de mudar, de transformar, de readaptar, de variar, de transmutar.
Procuramos quem tenha interesse nas artes em geral, quem goste de conhecer pessoas, quem goste de partilhar referências e de fazer perguntas.
Procuramos sobretudo mentes inquietas, quem descobre que o que quer fazer parece que ainda não foi feito, quem repara que o lugar onde quer estar não se parece (ainda) a lugar nenhum, quem percebe que as formas como gosta de explorar o mundo não são típicas de uma só definição.
Neste lugar impõem-se mudanças no material genético dos organismos, das disciplinas, dos processos, dos espaços, dos grupos. As mutações podem ser letais, mas também promissoras pois constituem a razão da variedade que caracteriza as espécies.

Mutantes – entre o teatro e o museu é um novo projeto nacional e transdisciplinar de formação e criação de novos paradigmas artísticos para jovens entre os 18 e 28 anos, com formação diversificada e vindos de diferentes áreas.
Desenvolve-se a partir da ideia de dispositivo artístico e das diferentes possibilidades da sua utilização. É movido pelo reconhecimento da sua exploração tanto nas artes performativas como nos contextos expositivos e pretende analisar os lugares da arte questionando os modos da sua fabricação.

Mutantes inspira-se na potencialidade da (de)formação, no hibridismo genético (entre uma coisa e outra), aqui entre o teatro e o museu, e no cruzamento de matérias de origem (conjuntos de partes de outros conjuntos), aqui procurando desordenar géneros, essências, raízes, identidades e lugares.

Entre 19 de março e 18 de junho de 2022, o grupo reúne aos sábados de manhã, em diferentes espaços culturais – teatros, museus e centros de arte – da área da grande Lisboa (Casa da Cerca, Culturgest, MAAT, Museu Berardo, Teatro do Bairro Alto e Teatro Nacional Dona Maria II), recolhendo material genético para as suas mutações.

Mutantes é um projeto da BoCA – Bienal de Artes Contemporâneas, conta com a direção de Sara Franqueira, em colaboração com as equipas artísticas e de mediação dos espaços parceiros. Um projeto novo que promove a aprendizagem em contextos não formais e assume-se como um processo de inquirição e pesquisa de novos modelos de colaboração entre as artes performativas e as artes visuais.

Não te esqueças que:
1. A maior parte das mutações são invisíveis.
2. Uma mesma mutação pode reaparecer periodicamente.
3. As mutações são sempre alterações bruscas e imprevistas de material herdado.
4. Tens que preencher o nosso formulário para responder a este call e poder fazer parte deste grupo de pensadores, manipuladores, mutantes fazedores de outras mutações.

QUEM SE PODE INSCREVER? 
Jovens entre os 18 e os 28 anos, com ou sem experiência artística e de qualquer área de formação.

QUANDO? 
As sessões decorrem aos sábados, entre as 10h-13h, de 19 de março a 18 de junho. A última sessão será uma apresentação pública em torno do projecto artístico desenvolvido com o grupo no Teatro Nacional Dona Maria II.

ONDE? 
Casa da Cerca, Culturgest, MAAT, Museu Berardo, Teatro do Bairro Alto e Teatro Nacional Dona Maria II.

DIREÇÃO
Sara Franqueira, em colaboração com as equipas artísticas dos espaços parceiros.

Queres fazer parte do Mutantes?
A participação é gratuita. Preenche o formulário de inscrição AQUI até 15 de março.

Tens dúvidas? Escreve-nos para francisco.cambim@bocabienal.org

Próximos Eventos

ler mais
  • O Barco / The Boat

    29 setembro 2022 — 19 outubro 2022
    Somerset House, Londres

    GRADA KILOMBA

    A primeira instalação de grande escala de Grada Kilomba viaja até Londres, à Somerset House.
    Composta por 140 blocos de madeira queimada, convida o público a entrar num jardim da memória, no qual poemas descansam sobre blocos de madeira queimada, lembrando histórias e identidades esquecidas. Que histórias são contadas? Onde são contadas? Como são contadas? E contadas por quem? São questões que se colocam ao entrar nesta instalação.

    +
  • Workshop “Fenómenos da sociedade e distância crítica e artística”

    30 setembro 2022 — 02 outubro 2022
    MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia

    ORLAN

    ORLAN é uma das mais importantes artistas francesas, autora do manifesto “A Arte Carnal”. Chocou o mundo nos anos 90 ao realizar a performance “A reencarnação da Santa Orlan”, uma série de nove cirurgias plásticas que foram transmitidas via satélite para diversos museus e galerias de arte da Europa. Dirige um workshop de três dias, pela primeira vez em Portugal.

    +
  • Coin Operated

    07 outubro 2022 — 08 outubro 2022
    Théâtre National de Chaillot, Paris

    JONAS & LANDER

    "Coin Operated" surgiu de um convite da BoCA a Jonas & Lander, para criarem uma peça para museu. O dispositivo cénico apresenta dois cavalos a motor, operados a moedas, com os dois artistas sentados. Para que algo aconteça o público tem de inserir uma moeda na ranhura dos cavalos. A performance aborda a relação económica e de poder, de conquista de território, de escravatura, da montada das classes sociais mais poderosas nas menos afortunadas.

    +
  • Cattivo

    08 dezembro 2022 — 21 dezembro 2022
    La Villette - Grand Halle, Paris

    MARLENE MONTEIRO FREITAS

    Installation commissioned by BoCA in 2019, CATTIVO is a large-scale installation made up of hundreds of music stands designed by Cape Verdean choreographer Marlene Monteiro Freitas. Through the use of a sensorial type of stage mechanism, these objects, usually at the service of the musician and the score, become subjects with their own feelings and desires. CATTIVO explores the borders of the animal, plant and imaginary worlds.

    +
  • Trouble

    15 dezembro 2022 — 18 dezembro 2022
    La Villette, Paris

    GUS VAN SANT

    O realizador de cinema Gus Van Sant aventura-se na sua primeira criação de palco com uma equipa portuguesa, um espetáculo de teatro musical inspirado em Andy Warhol e no seu esmagador talento para elevar a ícone as imagens, ao mesmo tempo que escalava como persona e artista a um estatuto de celebridade mundial.

    +