ECOTEMPORÂNEOS
Literatura em espaços verdes

 

Convidada: Gisela João (fadista)
Livro escolhido: “O Sol e as Suas Flores” de Rupi Kaur, editora Lua de Papel
Espaço verde: Quinta da Alfarrobeira (Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica), Lisboa

Lotação limitada à capacidade do espaço com inscrição prévia para info@bocabienal.org

> Sessão com intérprete de Língua Gestual Portuguesa e oferta do livro em braille para deficientes visuais

Ecotemporâneos partilham um mesmo tempo (contemporâneo) e um mesmo espaço (meio ambiente) em torno da literatura e do lugar.
Em cada sessão, conhecemos a história daquele jardim pelo seu jardineiro, um convidado especial escolhe um livro e apresenta-o na relação com aquele lugar.
Aberto, inclusivo e acessível, as sessões do Ecotemporâneos contam também com um intérprete de Língua Gestual Portuguesa e são produzidos e distribuídos livros em braille, tornando acessível a leitura e o diálogo entre todos.
No ano em que Lisboa é Capital Verde Europeia, a BoCA, em parceria com a EGEAC, continua a desenvolver este projeto que ocupa os espaços verdes da cidade, promovendo a sua acessibilidade e fruição através da literatura. Nas sessões anteriores, contámos com diferentes convidados, tais como Matilde Campilho, Mamadou Ba, Dulce Maria Cardoso, João Pedro Vale & Nuno Alexandre Ferreira, Albano Jerónimo, Capicua, Teresa Villaverde, Julião Sarmento, Mariana Monteiro, Tiago Rodrigues.

Gisela João é uma fadista portuguesa da nova geração. Nasceu em Barcelos, conheceu o fado na rádio e começou a reproduzi-lo para a família, primeiro, para os amigos e vizinhos, depois, em concursos de talentos infantis. Mudou-se para o Porto, queria estudar design de moda. Com 16/17 anos, Gisela foi cantar para a “Adega Lusitana”, em Barcelos. Mas o canto foi mais forte, entrou no circuito marialva da Invicta e ali passou uns anos, acabando por desaguar na Mouraria. E foi aí que a miúda franzina, de voz rouca e poderosa, começou a mostrar ao resto do mundo aquilo que ela mesma diz, nas últimas palavras da última música do seu primeiro disco: «Não é fadista quem quer, mas sim quem nasceu fadista». Em 2008 gravou o seu primeiro álbum a solo “O Meu Fado” – Estúdios Conquista de edição de autor. Em 2009 gravou um álbum com os Atlantihda. É depois um dos nomes convidados no disco de Fernando Alvim. Apontada por Camané como a grande aposta musical para 2013, Gisela João tem pisado palcos em Lisboa, como o Centro Cultural de Belém, a discoteca Lux (primeiro como convidada de Nicolas Jaar e depois num concerto em nome próprio), o Teatro do Bairro, o clube Frágil, O Sr. Vinho, ou a tasca da Bela, em Alfama.


Concepção e direção artística: 
John Romão
Produção executiva: Carolina Forjaz Trigueiros
Produção: BoCA
Co-produção: EGEAC Espaço Público
Apoios: Câmara Municipal de Lisboa, Direção-Geral das Artes, Fundação Millennium BCP, Editora Lua de Papel

Próximos Eventos

ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Patrícia Portela

    27 junho 2021
    Palácio do Marquês de Alegrete

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto que relaciona a literatura com os espaços verdes da cidade de Lisboa. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP e da impressão de livros em braille.

    Convidada: Patrícia Portela (encenadora, escritora)
    Livro escolhido: "As barbas do diabo" Julio Cortázar
    Espaço verde: Palácio do Marquês de Alegrete

    ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Hugo van der Ding

    27 junho 2021
    Casa da Cerca

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto da BoCA que relaciona literatura com os espaços verdes. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP.

    Convidado: Hugo van der Ding (Cartoonista, Cronista)
    Livro escolhido: "Platero e Eu" de Juan Ramón Jiménez
    Espaço verde: Jardim da Casa da Cerca, Almada

    ler mais
  • Na direção da luz

    01 julho 2021 — 31 julho 2021
    Teatro Camões

    HORÁCIO FRUTUOSO

    “Na direção da Luz” é uma intervenção site-specific do artista Horácio Frutuoso para o Teatro Camões, a casa da Companhia Nacional de Bailado, comissiarida pela BoCA. Um conjunto de poemas visuais sugerem uma ideia de movimento, de transformação das palavras e do espaço onde estão instalados pela luz.

    1 a 31 Julho 2021

    ler mais
  • ODETE: ON REVELATIONS AND MUDDY BECOMINGS

    08 julho 2021 — 10 julho 2021
    Av. Brasília, 1300-598 Lisboa

    RExFORM

    A artista Odete é a vencedora da primeira edição do RExFORM – Projeto Internacional de Performance, que nasce da colaboração entre a BoCA e o MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia e tem como intuito promover a criação artística contemporânea.
    A artista propõe uma abordagem crítica ao silêncio histórico em torno das questões do corpo, da identidade de género e do mundo queer. O projeto será apresentado na Sala dos Geradores - MAAT nos dias 8, 9 e 10 de Julho 2021.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO

    09 julho 2021
    Teatro Municipal Baltazar Dias, Funchal

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente. Esta é a primeira presença da BoCA na ilha do Funchal.

    9 Julho 2021

    ler mais