ECOTEMPORÂNEOS

Este é o projeto que tem juntado personalidades diferentes a pensar os espaços verdes da cidade de Lisboa em relação com a literatura. Agora, em formato online, cada convidado partilha uma fotografia sua numa paisagem natural, relacionando-a com um livro que tenha em casa. Estabelece-se um diálogo entre o interior e o exterior, entre o corpo (confinado na habitação e na fotografia), a natureza e a imaginação. Uma conversa informal via live do instagram na qual a comunidade online é chamada a participar.
Todos os domingos até, pelo menos, 30 de Junho 2020.

Todas as segundas-feiras lançamos a programação da semana no nosso website e redes sociais. Subscreve a nossa newsletter e o nosso canal de Youtube para receberes notícias em primeira mão.

 

SEMANA 3

Convidado: Albano Jerónimo (ator e encenador)
Localidade da fotografia:
Douro
Livro escolhido: “Silêncio na era do ruído” de Erling Kagge, editora Quetzal

Albano Jerónimo responde ao nosso convite com a escolha de uma fotografia sua a observar o Rio Douro, datada de 2019. Em relação a esta imagem, escolheu o livro “Silêncio na era do ruído” de Erling Kagge, uma meditação sobre o poder do silêncio. Neste livro pessoal e atmosférico, entre o meditativo e o prático, Erling Kagge coloca três questões: O que é o silêncio? Onde pode ser encontrado? Por que razão é mais importante do que nunca?
Na sessão de Ecotemporâneos de 10 de Maio vamos descobrir qual a relação que Albano Jerónimo enlaça entre esta sua fotografia e o livro.

Albano Jerónimo (1979) frequentou o Curso de Teatro em Formação de Atores da Escola Superior de Teatro e Cinema, em Lisboa. Cofundador da companhia teatronacional21. Em Teatro trabalhou com: Luís Fonseca, Ricardo Gageiro, Fernanda Lapa, Cristina Carvalhal, Diogo Infante, João Mota, Isabel Medina, John Retallack, Tiago Guedes, Nuno Carinhas, Ricardo Pais, Nuno M. Cardoso, Rui Mendes, Beatriz Batarda, Cláudia Lucas Chéu, Nuno Cardoso, Mickael de Oliveira, John Romão, Jorge Andrade, Carlos Pimenta, Carla Maciel, entre outros.
Recentemente, foi intérprete em Quarteto (Heiner Muller), encenado por Carlos Pimenta; Pocilga (Pier Paolo Pasolini), dirigido por John Romão; Sócrates tem de morrer e a Vida de John Smith (Mickael de Oliveira), encenado por Mickael de Oliveira; Coriolano (Shakespeare), encenado por Nuno Cardoso; e O Falecido Mattia Pascal (Pirandello), com Jorge Andrade na Mala Voadora.
Estreou-se como encenador no Teatro Nacional D. Maria II – Lisboa, com Um Libreto para Ficarem em Casa Seus Anormais, a partir de Rodrigo Garcia e rescrito por Mickael de Oliveira, numa Ópera Tropical e, de seguida, com Veneno de Cláudia Lucas Chéu, em digressão por vários teatros do país.
Em Cinema trabalhou com: Luís Fonseca, José Fonseca e Costa, Raúl Ruiz, Sérgio Graciano, Marco Martins, Francisco Manso, José Farinha, Sandro Aguilar, Pedro Varela, Miguel Gaudêncio, Gonçalo Galvão Telles, Solveig Nordlund, Vicente Alves do Ó, Valeria Sarmiento, Henrique Pina, Christian von Castelberg, Luis Galvão Telles, Jonas Rothlaender, Caca Diegues, Stan Douglas, Edgar Pêra, Ciaran Donnelly, Stephen St.Leger, Tiago Guedes, entre outros.
Em televisão participou em várias novelas e séries, onde se destaca a série Vikings, interpretando Euphemius, com produção da MGM e o History Channel; e Sara, de Marco Martins, para a RTP2.
Nomeado para vários prémios, destacam-se os prémios de Melhor Ator em Anestesia, de Pedro Varela, no ShortCutz; Melhor Ator Secundário no Prémios Entertainment com Kaminhos Magnétykos, de Edgar Pêra; Melhor Ator de Cinema no Festival de Cinema Euphoria com Florbela, de Vicente Alves do Ó; Prémio Sophia de Melhor Ator Secundário em Linhas de Wellington, de Valéria Sarmiento; nomeação para Melhor Ator em Série no Festival de Televisão de Monte Carlo em Cidade Despida; nomeação para um Globo de Ouro de Teatro com Menina Júlia, de August Strindberg, entre outros.

 

 

Próximos Eventos

ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Patrícia Portela

    27 junho 2021
    Palácio do Marquês de Alegrete

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto que relaciona a literatura com os espaços verdes da cidade de Lisboa. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP e da impressão de livros em braille.

    Convidada: Patrícia Portela (encenadora, escritora)
    Livro escolhido: "As barbas do diabo" Julio Cortázar
    Espaço verde: Palácio do Marquês de Alegrete

    ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Hugo van der Ding

    27 junho 2021
    Casa da Cerca

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto da BoCA que relaciona literatura com os espaços verdes. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP.

    Convidado: Hugo van der Ding (Cartoonista, Cronista)
    Livro escolhido: "Platero e Eu" de Juan Ramón Jiménez
    Espaço verde: Jardim da Casa da Cerca, Almada

    ler mais
  • Na direção da luz

    01 julho 2021 — 31 julho 2021
    Teatro Camões

    HORÁCIO FRUTUOSO

    “Na direção da Luz” é uma intervenção site-specific do artista Horácio Frutuoso para o Teatro Camões, a casa da Companhia Nacional de Bailado, comissiarida pela BoCA. Um conjunto de poemas visuais sugerem uma ideia de movimento, de transformação das palavras e do espaço onde estão instalados pela luz.

    1 a 31 Julho 2021

    ler mais
  • ODETE: ON REVELATIONS AND MUDDY BECOMINGS

    08 julho 2021 — 10 julho 2021
    Av. Brasília, 1300-598 Lisboa

    RExFORM

    A artista Odete é a vencedora da primeira edição do RExFORM – Projeto Internacional de Performance, que nasce da colaboração entre a BoCA e o MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia e tem como intuito promover a criação artística contemporânea.
    A artista propõe uma abordagem crítica ao silêncio histórico em torno das questões do corpo, da identidade de género e do mundo queer. O projeto será apresentado na Sala dos Geradores - MAAT nos dias 8, 9 e 10 de Julho 2021.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO

    09 julho 2021
    Teatro Municipal Baltazar Dias, Funchal

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente. Esta é a primeira presença da BoCA na ilha do Funchal.

    9 Julho 2021

    ler mais