Coin Operated

O dispositivo apresenta dois cavalos a motor, daqueles operados a moedas, estáticos, com Jonas & Lander sentados. Para que algo aconteça o público tem de inserir uma moeda na ranhura dos cavalos. O código é conhecido por todos desde a infância. No entanto, aqui o resultado dá origem a diferentes momentos performativos que podem ir desde o cantar ao dançar sozinho ou a dois, um discurso ou uma dissertação acompanhada à guitarra ou um grupo que irrompe o espaço a dançar a pares um slow. E tudo isto, com a duração que uma moeda “compra”.
“Coin Operated” surge de um convite da BoCA a Jonas & Lander, para criarem uma peça para o Museu Nacional dos Coches, onde o diálogo com o público é direto e dependente do mesmo. Jonas & Lander desenham uma nova relação com o espetador, em que o mesmo passa a ter um papel ativo na consequência da ação artística, potencializando diversas e surpreendentes cenas a cada apresentação, ou seja, a duração de cada moeda inserida nos cavalos.
As canções, discursos, dissertações, curiosidades históricas, todas as ações e informações na/da performance traduzem a simbologia do visível: um homem montado a cavalo e tudo o que esse momento de domesticação envolve e envolveu durante o período de forja das civilizações. A relação económica e de poder, de conquista de território, de escravatura, da montada das classes sociais mais poderosas nas menos afortunadas; estes assuntos serão dissecados em sequências performativas. Enquanto existir uma moeda.

Direção artística, coreografia e interpretação Jonas Lopes e Lander Patrick
Técnica Joana Mário
Som Jonas Lopes
Figurinos Lander Patrick
Gestão e produção 
Patrícia Soares
Difusão internacional Inês Le Gué
Direção de produção Gabriel Lapas
Produção Sinistra Associação Cultural
Comissão e co-produção BoCA
Fotografias Bruno Simão
Residência artística O Espaço do Tempo, Museu Nacional dos Coches

Próximos Eventos

ler mais
  • O Barco / The Boat

    29 setembro 2022 — 19 outubro 2022
    Somerset House, Londres

    GRADA KILOMBA

    A primeira instalação de grande escala de Grada Kilomba viaja até Londres, à Somerset House.
    Composta por 140 blocos de madeira queimada, convida o público a entrar num jardim da memória, no qual poemas descansam sobre blocos de madeira queimada, lembrando histórias e identidades esquecidas. Que histórias são contadas? Onde são contadas? Como são contadas? E contadas por quem? São questões que se colocam ao entrar nesta instalação.

    +
  • Workshop “Fenómenos da sociedade e distância crítica e artística”

    30 setembro 2022 — 02 outubro 2022
    MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia

    ORLAN

    ORLAN é uma das mais importantes artistas francesas, autora do manifesto “A Arte Carnal”. Chocou o mundo nos anos 90 ao realizar a performance “A reencarnação da Santa Orlan”, uma série de nove cirurgias plásticas que foram transmitidas via satélite para diversos museus e galerias de arte da Europa. Dirige um workshop de três dias, pela primeira vez em Portugal.

    +
  • Cattivo

    08 dezembro 2022 — 21 dezembro 2022
    La Villette - Grand Halle, Paris

    MARLENE MONTEIRO FREITAS

    Installation commissioned by BoCA in 2019, CATTIVO is a large-scale installation made up of hundreds of music stands designed by Cape Verdean choreographer Marlene Monteiro Freitas. Through the use of a sensorial type of stage mechanism, these objects, usually at the service of the musician and the score, become subjects with their own feelings and desires. CATTIVO explores the borders of the animal, plant and imaginary worlds.

    +
  • Trouble

    15 dezembro 2022 — 18 dezembro 2022
    La Villette, Paris

    GUS VAN SANT

    O realizador de cinema Gus Van Sant aventura-se na sua primeira criação de palco com uma equipa portuguesa, um espetáculo de teatro musical inspirado em Andy Warhol e no seu esmagador talento para elevar a ícone as imagens, ao mesmo tempo que escalava como persona e artista a um estatuto de celebridade mundial.

    +