A construção de um monumento integra (quase sempre) a possibilidade implícita da permanência de um tributo. A própria arquitetura, os seus métodos e formas, antecipam já um conjunto de ações a serem praticadas e um tempo a ser vivido dentro e fora de determinado espaço. Tomando a transitoriedade ou o nomadismo desse lugar, “Casa-animal” é um monumento definido para o espaço público.

Aberto à visitação e à experimentação, o projeto condiciona o nosso modo de ver e de ser perante um acontecimento ou relação. Desmontável, transportável e adaptável às necessidades e acontecimentos nele definidos, esta escultura-monumento-palco resulta da colaboração entre a dupla de artistas Musa paradisiaca (Eduardo Guerra e Miguel Ferrão) e o Arquiteto Miguel Roxo, com o apoio do Engenheiro Vasco de Barros.

Construído a partir de uma noção híbrida de escala, entre homem e animal, este é um lugar que partilha qualidades de abrigo, capela e estrebaria. A “Casa-animal” alberga ainda um conjunto de ações (projeções de vídeos, instalações, conversas, ações performativas, etc.), incluindo a estreia de um novo filme da Musa paradisiaca e outros eventos propostos a partir de uma convocatória pública.

Com duas sessões da Musa paradisiaca programadas, a “Casa-animal” encontra-se ainda aberta a outros eventos públicos que poderão assumir os formatos de exposição, conversa, conferência, performance ou qualquer outra acção temporária, propostos através de uma OPEN CALL, aberta em permanência.

 

ÉVORA / OPEN CALL

Consulta o documento que disponibilizamos para esta open call e inscreve-te a partir deste link: bit.ly/2l4LYww.

 

 

 

 

Próximos Eventos

ler mais
  • O CARRO FALANTE

    16 junho 2024 — 18 junho 2024
    Wiener festwochen

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +
  • BoCA Summer School: Cantos na Cosmovisão Huni Kuin

    06 julho 2024 — 07 julho 2024
    MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia

    COLETIVO HUNI KUIN

    No workshop "Cantos na Cosmovisão Huni Kuin", o coletivo Huni Kuin propõe uma experiência imersiva que se relaciona com a cultura musical do seu povo, pensando a voz e a melodia enquanto veículos e instrumentos para agir no mundo, constituir corpos e viver bem.

    +
  • BoCA Summer School: Corpo e Natureza

    06 julho 2024 — 07 julho 2024
    MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia

    COLETIVO HUNI KUIN

    No workshop "Corpo e Natureza", o coletivo Huni Kuin propõe uma prática e reflexão acerca do papel da arte no processo de fortalecimento de corpos na sua sociedade. Durante a formação, cada corpo assumirá diferentes faces: ora instrumento, ora embarcação coletiva, ora suporte para intervenção artística, simbólica e comunicativa com a natureza através da descoberta da pintura.

    +
  • TERRA COBRE

    18 julho 2024 — 19 julho 2024
    Festival dos Canais

    JOÃO PAIS FILIPE & MARCO DA SILVA FERREIRA

    Nova criação do artista sonoro João Pais Filipe e do dançarino Marco da Silva Ferreira que cruza a arte chocalheira tradicional da vila de Alcáçovas, no Alentejo, com práticas artísticas contemporâneas.

    +
  • O Carro Falante

    06 setembro 2024 — 07 setembro 2024
    Nowy Teatr

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +
  • O Carro Falante

    09 outubro 2024 — 10 outubro 2024
    HAU Berlim

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +