RExFORM – Projeto Internacional de Performance é um novo projeto que nasce da colaboração entre o maat e a BoCA, com o intuito de promover a criação artística contemporânea, acompanhando a evolução do conceito de performance, entendida enquanto prática colaborativa com ramificações que envolvem novos conceitos de teatralidade, coreografia e medialidade. Este novo projeto anual visa apoiar a produção de criações de jovens artistas até aos 35 anos – todos os anos, um júri internacional selecionará o projeto vencedor que beneficiará de financiamento, de um primeiro espaço de apresentação e de promoção nacional e internacional. A primeira edição, em 2020, é exclusivamente dedicada a artistas portugueses.


UMA INICIATIVA/PARCERIA

maat – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia
BoCA – Biennial of Contemporary Arts


JÚRI

Beatrice Leanza
maat, Diretora Executiva

Catherine Wood
Tate Modern, Curadora Sénior de Performance

Chloé Siganos
Centre Pompidou, Diretora de Artes Performativas

John Romão
BoCA, Diretor Artístico

 

RExFORM
Projeto Internacional de Performance 2020

RExFORM procura projetos performativos, transdisciplinares e colaborativos que sublinhem a abertura e fluidez do conceito de performance. Nesta primeira edição, o concurso está aberto apenas a criadores portugueses.

Uma nova iniciativa do maat e da BoCA, pensada e desenvolvida durante o período de crise global provocada pela propagação do COVID-19, que:
• Incorpora a importância social de apoiar e promover a experimentação nas gerações mais jovens. Por um lado, tornando viável a criação artística e, por outro, atraindo novos públicos para um género híbrido e performativo que desafia os padrões convencionais impulsionando a emergência de novas linguagens.
• Afirma como incentivo à criação artística nacional e internacional na área da performance, que tem vindo a adquirir uma importância crescente no circuito das práticas criativas contemporâneas.
• Aborda formas de criação contemporânea que pensam a performance a partir de diferentes perspetivas, nomeadamente coreográfica, multimédia ou digital.

 

CONCURSO PÚBLICO

i. O concurso público está aberto a uma vasta gama de projetos que contribuam para aprofundar e alargar o conceito de performance dentro das artes visuais e performativas, da dança e da música.
ii. Será dada prioridade a projetos que incluam interseções interdisciplinares, dentro das artes visuais, coreografia, teatro, novos media e narrativas multimédia.
iii. Nesta primeira edição, o RExFORM dedica-se ao apoio de artistas portugueses até aos 35 anos. Os artistas podem candidatar-se a título individual ou em grupos. São apenas aceites novos projetos que possam ser desenvolvidos até ao final de 2020.
iv. Palavras-chave do Projeto Internacional de Performance RExFORM:

• Emergência (urgência): Uma bolsa que surge num contexto específico e que incorpora, na sua génese, a urgência de apoiar jovens artistas. Trata-se da emergência de pensar sobre novos modelos e formas de apresentação, bem como da necessidade de proporcionar oportunidades e desafios a uma nova geração.

• Transdisciplinaridade: Uma bolsa que valoriza a hibridez, a intersecção e a colaboração entre artistas e criadores de diferentes áreas.

• Futuro: Uma bolsa anual que surge num contexto excecional com a consciência da importância de começar hoje para colher amanhã. Imaginar e vislumbrar alternativas futuras, uma ecologia de novo pensamento criativo, através da colaboração e comunhão de linguagens.

 

OBJETIVO

RExFORM quer encorajar novos discursos sobre a evolução do conceito de performance, através do apoio a jovens artistas. Num momento de incerteza e de instabilidade, pensamos sobre os modelos e reformulações que esta pausa, este abrandamento, podem proporcionar-nos. De que forma é afetado o nosso corpo na relação com o espaço e, sobretudo, como podemos agora, mais do que nunca, vislumbrar novas ideias de colaboração, sinergia e contaminação positiva?

RExFORM propõe apoiar um artista ou coletivo, através da realização de um projeto que desafie o formato expositivo habitual, procurando alternativas físicas ou virtuais inovadoras que joguem com a porosidade das fronteiras artísticas. Trata-se de um desafio a projetos que apontem para novas linguagens.

Com um júri composto por membros nacionais e internacionais, a intenção é apoiar uma escrita original de novas formas, contribuindo para o reconhecimento e visibilidade de artistas mais jovens. Através de um acompanhamento continuado desde o início, o projeto vencedor deverá incluir uma primeira fase de investigação (partilhada no plano virtual), antes de estrear no contexto institucional do maat–Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia e, numa fase posterior, beneficiar de circulação nacional no contexto da BoCA – Biennial of Contemporary Arts e de promoção internacional.

 

BOLSA

Projeto vencedor 12 000€ (incl. IVA)

• A bolsa deve cobrir as despesas de investigação e produção, e não os honorários pessoais/do grupo. A bolsa destina-se a apoiar a experimentação e a criação, o teste e realização de novos projetos.
• Assim, a bolsa deve cobrir todas as despesas associadas à realização do projeto, tanto na sua produção como na sua estreia no maat.
• Inclui também a cobertura de quaisquer despesas de deslocação e de alojamento em Lisboa, quando necessário.
• As despesas promocionais ficam a cargo das entidades fundadoras do projeto, o maat e a BoCA.

 

CALENDÁRIO

1a Fase: Envio de candidaturas 19 de junho – 19 de julho
2a Fase: Divulgação do projeto vencedor 10 de agosto de 2020
3a Fase: Desenvolvimento e apresentação do projeto vencedor Agosto – Novembro de 2020
4a Fase: Apresentação pública no MAAT, Dezembro de 2020
5a Fase: Circulação no programa da 3a edição da BoCA Setembro – Outubro de 2021

 

As candidaturas devem ser submetidas em inglês no website www.portugalentraemcena.pt

Enviar um único documento PDF (máx. 10 MB) com:
• Cópia do Cartão de Cidadão (este documento será protegido e servirá apenas para fins de candidatura);
• CV (máx. 3 páginas);
• Documentação de dois projetos anteriores (máx. 2 páginas, incluindo documentação visual e textual; incluir links para vídeos, quando aplicável);
• Descrição do projeto (máx. 5.000 caracteres, espaços incluídos) dos objetivos artísticos e do seu enquadramento no percurso profissional do candidato (máx. 4.000 caracteres, espaços incluídos);
• Anexos (facultativo; máx. 2 páginas): ilustração do projeto (imagens, links, referências).

 

NOTAS

i. Os candidatos têm de ter até 35 anos à data do envio da candidatura. No caso de candidaturas de grupo, os diretores artísticos não podem ter mais de 35 anos.
ii. Os candidatos têm de estar disponíveis para serem contactados para entrevista pelo júri durante o período de seleção.
iii. Os candidatos têm a opção de indicar a sua preferência de localização para a apresentação física do projeto (se deve ser um espaço interior ou exterior, por exemplo), ou especificar condições espaciais/ambientais para a encenação do projeto.
iv. No caso de candidaturas coletivas, todos os membros deverão ser identificados. Não são permitidas candidaturas coletivas em simultâneo com candidaturas individuais de qualquer um dos membros do grupo.

Em caso de dúvidas, por favor enviar email para maat@edp.pt