• A Tralha

    03 setembro 2021 — 05 setembro 2021
    Jardim do Museu de Lisboa

    CAPICUA

    "A Tralha" é um quase monólogo sobre acumulação. Um ensaio sobre o desperdício e a obsolescência em forma de narrativa pessoal. Uma reflexão sobre os objetos que nos rodeiam, que nos servem de extensão, que contêm as nossas memórias e que nos servem de interface com o mundo. Sobre os objetos que manipulamos e com os quais definimos as coreografias que inscrevemos no espaço e as nossas rotinas.

    +
  • O Barco/The Boat

    03 setembro 2021 — 17 outubro 2021
    MAAT

    GRADA KILOMBA

    Esta primeira instalação de grande escala de Grada Kilomba, que se estende junto ao rio por 32 metros de comprimento, na Praça do Carvão do MAAT, convida o público a entrar num jardim da memória, no qual poemas descansam sobre blocos de madeira queimada, lembrando histórias e identidades esquecidas. Que histórias são contadas? Onde são contadas? Como são contadas? E contadas por quem? São questões que se colocam ao entrar nesta instalação.

    +
  • Untitled (Wave)

    03 setembro 2021 — 17 outubro 2021
    Museu Nacional de Arte Antiga

    ANNE IMHOF

    “Untitled (Wave)” cria ressonância entre questões sobre o feminino, a adoração e a imaterialidade. Remete também para a história de arte, em particular o conceito de sublime, associado ao período romântico à contemplação da natureza, de paisagens inóspitas ou desoladas, que traduzem a escala de pequenez do indivíduo perante a grandeza do universo.

    +
  • Une vague joyeuse/Uma onda feliz

    03 setembro 2021
    FARO

    LUÍS LÁZARO MATOS

    “Une vague joyeuse” é um projeto de Luís Lázaro Matos cujo título advém da última cena do filme “Testamento de Orfeu” (1960) de Jean Cocteau, onde um carro descapotável percorre as curvas de uma estrada enquanto os seus passageiros gritam de alegria, indiferentes a dois polícias estacionados na berma.

    +
  • I Am the Mouth

    03 setembro 2021 — 17 outubro 2021
    Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea

    AGNIESZKA POLSKA

    Em “I Am the Mouth”, um par de lábios vermelhos meio submerso em água turbulenta, flutua enquanto repete frases calmantes, reenquadrando artisticamente o fenómeno viral de Internet conhecido por vídeos de ASMR (Auto Sensory Meridian Response) – sons gerados por materiais banais a raspar no microfone intensificados, tom de voz sussurrante que estimulam sensações agradáveis de formigamento e arrepio na nuca.

    +
  • Plantação de 7.000 Árvores

    03 setembro 2021 — 31 dezembro 2021
    LISBOA, ALMADA, FARO

    PLANTAÇÃO DE 7.000 ÁRVORES

    “A Defesa da Natureza” é um projeto a 10 anos através do qual a BoCA propõe aliar a criação e programação artística à criação e programação dos espaços naturais. Inspirado na célebre frase de Joseph Beuys, "Todos podemos ser artistas", propomos à comunidade artística e à sociedade civil a plantação de novas criações (naturais e artísticas), que formarão uma floresta de milhares de artistas e de obras de arte.

    +
  • Entre o Céu e a Terra

    04 setembro 2021 — 26 setembro 2021
    Praia da Bela Vista, Costa da Caparica (Almada)

    MÓNICA CALLE

    Em “Entre o Céu e a Terra”, Mónica Calle parte da escrita de Fiama Hasse Pais Brandão e desenvolve uma nova criação, a convite da BoCA, para um cenário natural: entre a praia e as dunas, na Costa da Caparica. Uma experiência intimista e desafiadora para 3 espectadores apenas por sessão.

    +
  • When All This Is Over, Let’s Meet Up! + Agents

    04 setembro 2021 — 17 outubro 2021
    Fábrica da Cerveja (Faro)

    ANASTASIA SOSUNOVA

    Através de um processo de distorção e entrelaçamento de elementos que pertencem a antigas mitologias, entidades híbridas e à sociedade de vigilância, Sosunova cria formas alternativas de "folclore contemporâneo". Explora novas narrativas e formas de vida que implicam regras, éticas, códigos e acordos entre os seres vivos.

    +
  • Quero ver as minhas montanhas

    05 setembro 2021 — 17 outubro 2021
    LISBOA, ALMADA E FARO

    SARA BICHÃO, DIANA POLICARPO, DAYANA LUCAS, GUSTAVO SUMPTA, GUSTAVO CIRÍACO, MUSA PARADISIACA, BERRU

    No ano em que se celebra o centenário do nascimento de Joseph Beuys (1921-1986), a BoCA cria o projeto “A Defesa da Natureza”, um projeto artístico colaborativo que promove novas criações artísticas e que é composto pela série "Quero ver as minhas montanhas", com curadoria de Delfim Sardo e Sílvia Gomes.

    +
  • Denominação de Origem Controlada

    05 setembro 2021
    Padrão dos Descobrimentos (Lisboa)

    GUSTAVO SUMPTA

    A série de performances no espaço natural “Quero ver as minhas montanhas”, com curadoria de Delfim Sardo e Sílvia Gomes, propõe aos artistas olharem o legado de Joseph Beuys, ao mesmo tempo que observam as suas próprias montanhas, ou o seu ‘eu’ interior.

    +
  • O Terceiro Reich

    09 setembro 2021 — 10 setembro 2021
    Museu Nacional dos Coches (Picadeiro Real)

    ROMEO CASTELLUCCI

    “O Terceiro Reich” é uma vídeo-instalação performativa baseada na representação espectral de todos os nomes. Todos os substantivos encontrados no dicionário italiano (aqui traduzidos para português) são projetados, em sequência, um a um, com uma velocidade autoritária que as esvazia do seu conteúdo e significado.

    +
  • Overlapses, Riddles & Spells

    09 setembro 2021 — 12 setembro 2021
    Centro Cultural de Belém

    ANDREIA SANTANA

    O modo como nos co-relacionamos ou como nos afetamos mutuamente, numa permanente interdependência, é um princípio que atravessa muitas das obras da artista visual Andreia Santana. “Overlapses, Riddles & Spells” é um projeto que contempla uma instalação inédita com obras de vidro e ferro, acompanhadas por duas projeções de vídeo.

    +
  • On Revelations and Muddy Becomings

    11 setembro 2021 — 18 setembro 2021
    ALMADA E FARO

    ODETE

    Odete quer “destruir a exibição performativa que transforma os nossos corpos em mercadorias” e “mentir sobre a História para que possamos remodelar o futuro”. O projeto “On Revelations and Muddy Becomings” é o culminar de um trabalho sobre sombras e política que Odete, artista multidisciplinar que opera no domínio da música, artes visuais, performance e teatro, tem vindo a criar.

    +
  • Carrossel

    12 setembro 2021
    Alpena (Trafaria)

    GUSTAVO CIRÍACO

    A série de performances no espaço natural “Quero ver as minhas montanhas”, com curadoria de Delfim Sardo e Sílvia Gomes, propõe aos artistas olharem o legado de Joseph Beuys, ao mesmo tempo que observam as suas próprias montanhas, ou o seu ‘eu’ interior.

    +
  • The New Sun

    13 setembro 2021 — 17 outubro 2021
    Reservatório da Patriarcal

    AGNIESZKA POLSKA

    “The New Sun” apresenta uma projeção do sol personificado como um personagem animado que se dirige diretamente ao público com teoria científica, poesia, desastres ambientais, piadas banais e canções de amor. Aqui, o sol é tudo o que vês antes do colapso final do teu sistema, do teu planeta, do teu pôr-do-sol – a última testemunha da tua extinção, conduzindo-te suavemente para o buraco negro de uma última meditação.

    +
  • Passages

    14 setembro 2021
    Museu Municipal de Faro

    NOÉ SOULIER

    “Passages” é um projeto nómada, que explora a relação entre o movimento dos corpos e dos lugares onde estes inscrevem as suas ações. Ao atuar sobre objetos imaginários, os performers desencadeiam ressonâncias em múltiplas escalas e dimensões, num ativar de memórias físicas nos espetadores, partindo da relação com os espaços que habitam.

    +
  • Passages

    17 setembro 2021 — 18 setembro 2021
    Museu Nacional de Arte Antiga

    NOÉ SOULIER

    “Passages” é um projeto nómada, que explora a relação entre o movimento dos corpos e dos lugares onde estes inscrevem as suas ações. Ao atuar sobre objetos imaginários, os performers desencadeiam ressonâncias em múltiplas escalas e dimensões, num ativar de memórias físicas nos espetadores, partindo da relação com os espaços que habitam.

    +
  • As Filhas do Fogo

    17 setembro 2021 — 18 setembro 2021
    Capitólio

    PEDRO COSTA & OS MÚSICOS DO TEJO

    Do consagrado realizador Pedro Costa, depois do seu premiado filme “Vitalina Varela”, estreia-se “As Filhas do Fogo”, filme-espectáculo de encontro entre o cinema, a música e o teatro. Pedro Costa colabora com os Músicos do Tejo e propõe um dispositivo cénico que volta a colocar a ênfase no pós-colonialismo.

    +
  • Música Cigana Camões Yanomani / A Soma dos Seus

    18 setembro 2021 — 19 setembro 2021
    Fundação Calouste Gulbenkian

    ANTÓNIO POPPE E LA FAMÍLIA GITANA

    “Música Cigana Camões Yanomani/ A Soma dos Seus” consiste numa performance-espetáculo que combina a poesia de Camões, textos de Davi Kopenawa (dos Indios Yanomani), com Música Cigana. Este encontro cria uma composição comunicante entre expressões originais.

    +
  • Monumento para Amadores

    19 setembro 2021
    Ilha Deserta (Faro)

    MUSA PARADISIACA

    A série de performances no espaço natural “Quero ver as minhas montanhas”, com curadoria de Delfim Sardo e Sílvia Gomes, propõe aos artistas olharem o legado de Joseph Beuys, ao mesmo tempo que observam as suas próprias montanhas, ou o seu ‘eu’ interior.

    +
  • Andy

    23 setembro 2021 — 03 outubro 2021
    Teatro Nacional D. Maria II

    GUS VAN SANT

    O realizador de cinema Gus Van Sant aventura-se na sua primeira criação de palco, um espetáculo de teatro musical inspirado em Andy Warhol e no seu esmagador talento para elevar a ícone as imagens, ao mesmo tempo que escalava como persona e artista a um estatuto de celebridade mundial.

    +
  • Tânia Carvalho e Matthieu Ehrlacher

    24 setembro 2021 — 25 setembro 2021
    Lisboa (local a anunciar)

    TÂNIA CARVALHO E MATTHIEU EHRLACHER

    Os instrumentos tocados por Tânia e Matthieu, saxofone e erhu, e a sua colaboração com o Rancho Folclórico da Casa do Minho de Lisboa fazem com que se abrace uma nova forma de experimentar a tradição e o seu cancioneiro. As músicas são desmembradas da sua forma original para serem colocadas na construção de uma viagem sonora.

    +
  • Música Cigana Camões Yanomani / A Soma dos Seus

    25 setembro 2021
    Quintalão

    ANTÓNIO POPPE E LA FAMÍLIA GITANA

    “Música Cigana Camões Yanomani/ A Soma dos Seus” consiste numa performance-espetáculo que combina a poesia de Camões, textos de Davi Kopenawa (dos Indios Yanomani), com Música Cigana. Este encontro cria uma composição comunicante entre expressões originais.

    +
  • Sound Walk (Tapada das Necessidades)

    25 setembro 2021
    Tapada das Necessidades (Lisboa)

    DIANA POLICARPO

    A série de performances no espaço natural “Quero ver as minhas montanhas”, com curadoria de Delfim Sardo e Sílvia Gomes, propõe aos artistas olharem o legado de Joseph Beuys, ao mesmo tempo que observam as suas próprias montanhas, ou o seu ‘eu’ interior.

    +
  • IWOW: I WALK ON WATER

    28 setembro 2021 — 29 setembro 2021
    Cinema São Jorge

    KHALIK ALLAH

    “IWOW” é um filme do marcante fotógrafo e realizador nova-iorquino Khalik Allah, já descrito como realizador de “ópera de rua” e elogiado pelo olhar desarmante que desvela com delicada maestria uma humanidade visceralmente bela.

    +
  • Brasa

    29 setembro 2021
    Teatro das Figuras

    TIAGO CADETE

    Em “Brasa”, Tiago Cadete prossegue uma das suas linhas de pesquisa teatral, a da interrogação e de olhar crítico sobre a relação histórica entre Portugal e Brasil, acompanhado de um elenco de criadores-intérpretes de origens diversas: Isabél Zuaa, Julia Salem, Keli Freitas, Magnum Alexandre Soares, Ana Lobato, Dori Nigro, Gustavo Ciríaco e Raquel André.

    +
  • Water In A Heatwave

    30 setembro 2021 — 10 outubro 2021
    Carpintarias de São Lázaro

    MILES GREENBERG

    “Water in a Heatwave” é uma nova performance duracional de 4h para oito performers e é o projeto mais desafiante, ao nível de escala e de duração, do artista. Dois a dois, os performers colidem os seus corpos uns contra os outros, no topo de uma série de pedestais, criando tensões variadas no espaço.

    +
  • Simbiose

    30 setembro 2021 — 02 outubro 2021
    Fundação Champalimaud

    HUGO CANOILAS e GABRIEL FERRANDINI

    "Simbiose" nasce, ganha autonomia e materialidade algures entre um plano de música (de Gabriel Ferrandini) e um plano visual (filme de Hugo Canoilas), combinando a performance de cantores líricos, a partir da música do compositor italiano do séc. XVI Carlo Gesualdo, e os fungos liquenizados que nascem nas representações rupestres de Vale do Côa.

    +
  • IWOW: I WALK ON WATER

    01 outubro 2021
    Auditório IPDJ

    KHALIK ALLAH

    “IWOW” é um filme do marcante fotógrafo e realizador nova-iorquino Khalik Allah, já descrito como realizador de “ópera de rua” e elogiado pelo olhar desarmante que desvela com delicada maestria uma humanidade visceralmente bela.

    +
  • TRÓPICOS MECÂNICOS (MUEDA)

    01 outubro 2021 — 03 outubro 2021
    Almada (local a anunciar)

    FELIPE BRAGANÇA, TEATRO GRIOT, CATARINA WALLENSTEIN

    Projeto transmedia, com inspirações no afro-futurismo e no tropicalismo brasileiro. A ficção científica, a fábula e a documentação misturam-se nesta performance visual e teatral em torno das memórias do Massacre de Mueda, ocorrido no Moçambique, em 1960.

    +
  • Um buraco do tamanho do teu toque

    01 outubro 2021 — 03 outubro 2021
    Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado

    ANDRÉ UERBA

    Através do desaceleramento, da inibição do sentido da visão e de uma aproximação cinética e somática ao corpo e seu movimento, André Uerba e performers exploram diferentes formas de se conhecerem e se sentirem. Corpos que se encontram, coordenam e comunicam de forma não verbal – abrindo um espaço que se entende político.

    +
  • Atavic Machine / Máquina Atávica

    03 outubro 2021 — 10 outubro 2021
    Estufa Fria

    JONATHAN ULIEL SALDANHA

    Em “Máquina Atávica”, Jonathan ativa pela primeira vez num espaço vegetal (de construção humana) - a Estufa Fria de Lisboa - a ação de uma máquina de som e luz, onde as características latentes e fictícias provenientes de um tempo remoto e futuro se manifestam.

    +
  • Sistema de Reverberação de Matéria

    03 outubro 2021
    Almada (local a anunciar)

    BERRU

    A série de performances no espaço natural “Quero ver as minhas montanhas”, com curadoria de Delfim Sardo e Sílvia Gomes, propõe aos artistas olharem o legado de Joseph Beuys, ao mesmo tempo que observam as suas próprias montanhas, ou o seu ‘eu’ interior.

    +
  • Tânia Carvalho e Matthieu Ehrlacher

    07 outubro 2021
    Teatro Lethes

    TÂNIA CARVALHO e MATTHIEU EHRLACHER

    Os instrumentos tocados por Tânia e Matthieu, saxofone e erhu, e a sua colaboração com o Rancho Folclórico da Casa do Minho fazem com que se abrace uma nova forma de experimentar a tradição e o seu cancioneiro. As músicas são desmembradas da sua forma original para serem colocadas na construção de uma viagem sonora.

    +
  • Über Alles

    08 outubro 2021 — 09 outubro 2021
    MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia

    CARLOS AZEREDO MESQUITA

    “Über Alles” é uma performance duracional em que os performers exploram a história e as estórias, elementos da iconografia e da sociologia ligados aos hinos nacionais. Refletem sobre o papel que estas canções têm na construção da mitologia da nação e nas dinâmicas de inclusão e exclusão associadas a esse processo.

    +
  • and STILL we MOVE

    08 outubro 2021
    Teatro das Figuras

    JOANA CASTRO E MAURÍCIA NEVES

    E ainda assim nos movemos. A fragilidade enquanto potência, enquanto lugar poético, é o ponto de partida para uma performance que surge da vontade de deslocar o campo privado para o público. As coreógrafas e intérpretes Joana Castro e Maurícia Neves questionam e reconfiguram a relações entre ambas, tendo como base fotografias de arquivo pessoal de uma relação amorosa que encontrou o seu fim em outubro passado.

    +
  • A Tralha

    09 outubro 2021
    Quintalão (Faro)

    CAPICUA

    "A Tralha" é um quase monólogo sobre acumulação. Um ensaio sobre o desperdício e a obsolescência em forma de narrativa pessoal. Uma reflexão sobre os objetos que nos rodeiam, que nos servem de extensão, que contêm as nossas memórias e que nos servem de interface com o mundo. Sobre os objetos que manipulamos e com os quais definimos as coreografias que inscrevemos no espaço e as nossas rotinas.

    +
  • Lavagem

    09 outubro 2021 — 10 outubro 2021
    Almada (local a anunciar)

    ALICE RIPOLL

    Em “Lavagem”, a mais recente obra da coreógrafa brasileira Alice Ripoll e Cia. REC, a realidade e a fantasia misturam-se em delírio, como num sonho apocalíptico. Com a ajuda de baldes, água e sabão, a performance investiga imagens ambivalentes a partir do ato de lavar, com desdobramentos cénicos e históricos observados criticamente.

    +
  • KATABASIS—ANABASIS

    10 outubro 2021
    Fábrica da Cerveja (Faro)

    DAYANA LUCAS

    A série de performances no espaço natural “Quero ver as minhas montanhas”, com curadoria de Delfim Sardo e Sílvia Gomes, propõe aos artistas olharem o legado de Joseph Beuys, ao mesmo tempo que observam as suas próprias montanhas, ou o seu ‘eu’ interior.

    +
  • Moving Earths

    13 outubro 2021
    Culturgest

    BRUNO LATOUR E FRÉDÉRIQUE AÏT-TOUATI

    Uma conferência-performance do filósofo Bruno Latour e da sociólogo e encenadora Frédérique Aït-Touati em que a ordem social e cósmica é descrita como “caminhando para um colapso político e ecológico sem paralelo”, por via da crise climática.

    +
  • Resistencia

    13 outubro 2021
    Praça da Liberdade (Almada)

    LASTESIS

    O coletivo artístico, interdisciplinar e feminista de mulheres de Valparaíso (Chile) LASTESIS dedica-se a divulgar a teoria feminista baseada na performance. Viajam pela primeira vez a Portugal para trabalharem com 80 mulheres e dissidências de idades e formações diversas, numa performance que procura abordar a reivindicação ao direito a uma vida livre de violência.

    +
  • Brasa

    14 outubro 2021 — 17 outubro 2021
    Carpintarias de São Lázaro

    TIAGO CADETE

    Em “Brasa”, Tiago Cadete prossegue uma das suas linhas de pesquisa teatral, a da interrogação e de olhar crítico sobre a relação histórica entre Portugal e Brasil, acompanhado de um elenco de criadores-intérpretes de origens diversas: Isabél Zuaa, Julia Salem, Keli Freitas, Magnum Alexandre Soares, Ana Lobato, Dori Nigro, Gustavo Ciríaco e Raquel André.

    +
  • and STILL we MOVE

    15 outubro 2021 — 16 outubro 2021
    Teatro Taborda

    JOANA CASTRO E MAURÍCIA NEVES

    E ainda assim nos movemos. A fragilidade enquanto potência, enquanto lugar poético, é o ponto de partida para uma performance que surge da vontade de deslocar o campo privado para o público. As coreógrafas e intérpretes Joana Castro e Maurícia Neves questionam e reconfiguram a relações entre ambas, tendo como base fotografias de arquivo pessoal de uma relação amorosa que encontrou o seu fim em outubro passado.

    +
  • Andy

    16 outubro 2021
    Teatro das Figuras

    GUS VAN SANT

    O realizador de cinema Gus Van Sant aventura-se na sua primeira criação de palco, um espetáculo de teatro musical inspirado em Andy Warhol e no seu esmagador talento para elevar a ícone as imagens, ao mesmo tempo que escalava como persona e artista a um estatuto de celebridade mundial.

    +
  • 0

    17 outubro 2021
    Doca de Pedrouços e Trafaria

    SARA BICHÃO

    A série de performances no espaço natural “Quero ver as minhas montanhas”, com curadoria de Delfim Sardo e Sílvia Gomes, propõe aos artistas olharem o legado de Joseph Beuys, ao mesmo tempo que observam as suas próprias montanhas, ou o seu ‘eu’ interior.

    +

Atividades passadas