Portugal | Performance musical | Nova criação
*estreia mundial

 

Músico de visceralidades sonoras e performativas, formado em artes visuais, produtor, criador multifacetado, Jonathan Saldanha é mestre xamânico das novas tecnologias e linguagens artísticas, num mundo de pós-produção onde a futurologia tem raíz tribal e ritualística. Jazz, hip hop, eletrónica, gestos de composição entre a música, a performance e as artes visuais, Jonathan move-se numa permanente reformulação e resignificação inventiva do já existente no mundo. Depois de peças como “Oxidation Machine” (2016), “O Poço” (2017) ou “SØMA” (2018), e com um percurso pluridisciplinar que já o levou ao Primavera Sound, Sónar, OUT.FEST, Palais de Tokyo, entre outros, apresenta agora na BoCA “Scotoma Cintilante”, concerto-performance para coro misto de cegos e partitura gráfica tridimensional.

A superfície de uma máquina-escultura é a matéria inanimada que opera a mutação sobre a voz no tempo. Partindo de uma mundivisão onde a relação tátil com a matéria inanimada é a fonte primordial da construção do som, este concerto-performance inscreve-se entre matéria e anima, pré-linguagem e superfície, operando a intercepção de quatro eixos distintos: o aparelho vocal humano; a mediação de uma linguagem háptica; a refração como mecanismo tático de mutação e rematerialização do tempo; e a camuflagem da palavra pela voz. Projeto de investigação que surge a convite da Escola das Artes – UCP para o desenvolvimento de uma peça vocal que reflete os arquétipos da paixão de Cristo, desenvolvido em residência artística.

 

Biografia do artista


Direção e concepção:
 Jonathan Uliel Saldanha
Maestrina: Ivelina Kavrakova
Coro: Ver Pela Arte
Mecanismo de refração coral: Pedro Monteiro
Desenvolvimento e construção escultura:  André Perrotta
Desenho 3D: Ricardo Megre
Corporalidade: Catarina Miranda
Superfície: Diogo Tudela
Apoio à investigação: Álvaro Balsas
Imagem de divulgação: Jonathan Saldanha e Ricardo Megre
Co-produção: Escola das Artes – Universidade Católica Portuguesa, BoCA, SOOPA
Apoios: Direção-Geral das Artes, Fundação GDA, Católica Porto 40 anos, Centro Nacional de Cultura e ACAPO

Próximos Eventos

ler mais
  • A Viagem Invertida / Barcelona

    25 outubro 2019
    Caixa Forum / Barcelona

    PEDRO BARATEIRO

    Depois da estreia mundial na BoCA 2019, a performance "A Viagem Invertida" é apresentada no contexto da exposição "En Caída Libre", com curadoria de João Laia, em Barcelona. Tem como paisagem a exploração das minas de lítio em Portugal, numa investigação que passa também pelo livro “Queda sem fim, seguido de Descida de Maleström, de Edgar Allan Poe”, de José A. Bragança de Miranda. Com interpretação de Pedro Barateiro e de Lula Pena, e música de Raw Forest.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO / Buenos Aires

    04 dezembro 2019
    Centro Cultural San Martín, Buenos Aires

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a bienal BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente.

    ler mais
  • COMO FAZER UMA MÁSCARA / Buenos Aires

    04 dezembro 2019
    Centro Cultural San Martín, Buenos Aires

    PEDRO BARATEIRO

    A performance "Como Fazer uma Máscara" de Pedro Barateiro é um monólogo, acompanhado por um conjunto de imagens projectadas, em que o artista tenta pensar a questão da máscara, através de dispositivos de linguagem e imagem e exemplos que vão da história do teatro ocidental a testes de personalidade.

    ler mais
  • Hard to be a god / Bangkok

    06 dezembro 2019 — 07 dezembro 2019
    Neilson Hays Library / Bangkok

    JOHN ROMÃO & ROMEU RUNA

    Depois da sua estreia mundial no contexto da BoCA 2017, em Lisboa, a performance “Hard to be a god” continua a sua circulação internacional e viaja agora até Bangkok. Os espectadores observam a performance através de uma janela de vidro que separa a ação de seu próprio corpo (protegido), como se fosse uma tela, enquadrando a ação exterior. Uma luta entre a natureza - em todo o seu esplendor - e a tecnologia.

    ler mais
  • A Viagem Invertida / Santiago do Chile

    07 dezembro 2019
    Matucana 100, Santiago do Chile

    PEDRO BARATEIRO

    Depois da sua estreia mundial na BoCA 2019, a performance "A Viagem Invertida" continua em digressão internacional. "A Viagem Invertida" tem como paisagem a exploração das minas de lítio em Portugal, numa investigação que passa também pelo livro “Queda sem fim, seguido de Descida de Maleström, de Edgar Allan Poe”, de José A. Bragança de Miranda. Com interpretação de Pedro Barateiro e música de Raw Forest.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO / Santiago do Chile

    07 dezembro 2019
    Matucana 100, Santiago do Chile

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a bienal BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente.

    ler mais
  • Cattivo

    18 fevereiro 2020 — 23 fevereiro 2020
    São Luiz Teatro Municipal, Lisboa

    MARLENE MONTEIRO FREITAS

    Na edição BoCA 2019, a bailarina e coreógrafa Marlene Monteiro Freitas transgrediu a sua prática e criou “Cattivo”, a sua primeira (mega) instalação composta por centenas de estantes de partitura, que são exploradas até ao limite das suas propriedades expressivas. Assistimos à capacidade de encarnarem estados emocionais e de tomarem decisões, manipulando-se a si mesmas e a outros objetos. Agora é a oportunidade única de descobrir a adaptação desta criação ao SLTM.

    ler mais