Portugal | Nova criação | Instalação

 

A obra de João Pedro Rodrigues & João Rui Guerra da Mata pode ser vista como uma  poesia da deambulação do corpo no espaço urbano. Os fantasmas e as fantasias, as sombras e as suas danças, a dimensão do sagrado e do erotismo.
Em pleno Jardim do Príncipe Real, local iconográfico de deambulações de corpos LGBT, encontra-se o subterrâneo Museu da Água / Reservatório da Patriarcal. A BoCA convidou João Pedro Rodrigues & João Rui Guerra da Mata para apresentar a instalação “Identidade Nacional” numa descida às entranhas que recontextualiza os corpos que os realizadores têm vindo a filmar ao longo dos anos. “Identidade Nacional (Príncipe Real)” reúne filme, fotografia e adereços de obras anteriores dos artistas, numa reflexão sobre identidades, identidade de género e identidade nacional.
O filme “O Corpo de Afonso“ (2013), comissariado por Guimarães Capital da Cultura, de João Pedro Rodrigues procura através de um casting um ator para encarnar o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques. Um dos adereços idealizados por João Rui Guerra da Mata para o filme “Morrer como um homem“ (2009) de João Pedro Rodrigues, é a máscara mortuária, em silicone, do seu protagonista, Tónia (interpretada por Deborah Krystall, figura iconográfica do travestismo em Portugal). Outras fotografias, de Maria Bakker e Jenny Larrue, compõem a instalação. O conjunto destes elementos questionam todos os códigos de comportamento, percepção e aparência e, nesse processo, estilhaçam qualquer ideia mais redutora de identidade a partir da forma como cada pessoa se expressa, como na leitura que os outros fazem tendo em conta uma atribuição de um género sexual, que imediatamente é percepcionado como estando associado a um comportamento tipificado.

 

O CORPO DE AFONSO de João Pedro Rodrigues
Vídeo Projeção 32’, HD, cor, som estéreo, loop / Portugal, 2013
Legendado em inglês

MÁSCARA MORTUÁRIA DE TÓNIA (FERNANDO SANTOS)
Adereço do filme “Morrer como um Homem” (2009) de João Pedro Rodrigues
Latex pintado, cabelo natural
Executada por Colin H. Arthur e Sarah Pooley (Dream Factory Spain), 2008

MARIA BAKKER (GONÇALO FERREIRA DE ALMEIDA)
Adereço do filme “Morrer como um homem” (2009) de João Pedro Rodrigues
Fotografia de Luís Silva Campos, 2008

JENNY LARRUE, GUERREIRA NUBA (JENNY LARRUE)
Adereço do filme “Morrer como um homem” (2009) de João Pedro Rodrigues
Fotografia de Luís Silva Campos, 2008

RÉPLICA DA HIPOTÉTICA ESPADA DE DOM AFONSO HENRIQUES, PRIMEIRO REI DE PORTUGAL
Adereço do filme “O Corpo de Afonso” (2013) de João Pedro Rodrigues
Forjada por Carlos Norte e Paulo Correia na Cutelaria Lombo do Ferreiro, Caldas da Rainha, 2012

 

INAUGURAÇÃO
15 MAR, 18H
com atuação de Deborah Krystal

Próximos Eventos

ler mais
  • O Carro Falante

    18 abril 2024 — 19 abril 2024
    deSingel

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +
  • O CARRO FALANTE

    16 junho 2024 — 18 junho 2024
    Wiener festwochen

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +
  • TERRA COBRE

    18 julho 2024 — 19 julho 2024
    Festival dos Canais

    JOÃO PAIS FILIPE & MARCO DA SILVA FERREIRA

    Nova criação do artista sonoro João Pais Filipe e do dançarino Marco da Silva Ferreira que cruza a arte chocalheira tradicional da vila de Alcáçovas, no Alentejo, com práticas artísticas contemporâneas.

    +
  • O Carro Falante

    06 setembro 2024 — 07 setembro 2024
    Nowy Teatr

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +
  • TERRA COBRE

    14 setembro 2024
    Festival Escena Patrimonio

    JOÃO PAIS FILIPE & MARCO DA SILVA FERREIRA

    Nova criação do artista sonoro João Pais Filipe e do dançarino Marco da Silva Ferreira que cruza a arte chocalheira tradicional da vila de Alcáçovas, no Alentejo, com práticas artísticas contemporâneas.

    +
  • O Carro Falante

    09 outubro 2024 — 10 outubro 2024
    HAU Berlim

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +