Performance

Em “Hard to be a god”, os espectadores observam a performance através de uma janela de vidro que separa a ação de seu próprio corpo (protegido), como se fosse uma tela, enquadrando a ação exterior. A performance mostra as técnicas de desaparecimento do corpo, como camuflagem ou ocultação, que dominam a vida contemporânea. O que hoje está a acontecer é o desaparecimento do lugar e do indivíduo ao mesmo tempo. Mas o que é que realmente está a acontecer? O desaparecimento do indivíduo dentro do seu próprio corpo? Ou a dissimulação do corpo através do desaparecimento do indivíduo? Uma luta entre a natureza – em todo o seu esplendor – e a tecnologia.
Depois da sua estreia mundial no contexto da BoCA 2017, no Pavilhão Branco / Galerias Municipais EGEAC, em Lisboa, a performance “Hard to be a god” continua a sua circulação internacional e viaja agora até Bangkok, onde é apresentada no Unfolding Kakfa Festival.

Direção John Romão
Cocriação John Romão & Romeu Runa
Performer Romeu Runa
Colaboração sonora Tiago Cerqueira
Operação de drones André Gomes e Luís Graciano
Produção Colectivo 84
Co-produção BoCA
Apoio à criação Fundação Calouste Gulbenkian
Apoio à apresentação em Bangkok Embaixada de Portugal em Bangkok / Camões – Instituto da Cooperação e da Língua
Fotografias Bruno Simão

A BoCA e o Colectivo 84 são estrutura financiada pelo Ministério da Cultura / Direção-Geral das Artes

Próximos Eventos

ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Hugo van der Ding

    27 junho 2021
    Casa da Cerca

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto da BoCA que relaciona literatura com os espaços verdes. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP.

    Convidado: Hugo van der Ding (Cartoonista, Cronista)
    Livro escolhido: "Platero e Eu" de Juan Ramón Jiménez
    Espaço verde: Jardim da Casa da Cerca, Almada

    ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Patrícia Portela

    27 junho 2021
    Palácio do Marquês de Alegrete

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto que relaciona a literatura com os espaços verdes da cidade de Lisboa. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP e da impressão de livros em braille.

    Convidada: Patrícia Portela (encenadora, escritora)
    Livro escolhido: "As barbas do diabo" Julio Cortázar
    Espaço verde: Palácio do Marquês de Alegrete

    ler mais
  • Na direção da luz

    01 julho 2021 — 31 julho 2021
    Teatro Camões

    HORÁCIO FRUTUOSO

    “Na direção da Luz” é uma intervenção site-specific do artista Horácio Frutuoso para o Teatro Camões, a casa da Companhia Nacional de Bailado, comissiarida pela BoCA. Um conjunto de poemas visuais sugerem uma ideia de movimento, de transformação das palavras e do espaço onde estão instalados pela luz.

    1 a 31 Julho 2021

    ler mais
  • ODETE: ON REVELATIONS AND MUDDY BECOMINGS

    08 julho 2021 — 10 julho 2021
    Av. Brasília, 1300-598 Lisboa

    RExFORM

    A artista Odete é a vencedora da primeira edição do RExFORM – Projeto Internacional de Performance, que nasce da colaboração entre a BoCA e o MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia e tem como intuito promover a criação artística contemporânea.
    A artista propõe uma abordagem crítica ao silêncio histórico em torno das questões do corpo, da identidade de género e do mundo queer. O projeto será apresentado na Sala dos Geradores - MAAT nos dias 8, 9 e 10 de Julho 2021.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO

    09 julho 2021
    Teatro Municipal Baltazar Dias, Funchal

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente. Esta é a primeira presença da BoCA na ilha do Funchal.

    9 Julho 2021

    ler mais