PORTUGAL
Nova Criação – Teatro / Performance
“Entre o Céu e a Terra”

Depois de “Carta” – peça estreada já este ano, no Teatro D. Maria II, com 32 mulheres em palco e que representa o culminar de sete anos de trabalho a partir do seu antecessor, “Ensaio Para Uma Cartografia” –, Mónica Calle regressa ao registo intimista e ao trabalho sobre o texto, mas num contexto muito especial. Em “Entre o Céu e a Terra”, Mónica Calle parte da escrita de Fiama Hasse Pais Brandão e desenvolve uma nova criação, a convite da BoCA, para um cenário natural: entre a praia e as dunas, na Costa da Caparica.

As três atrizes – Mónica Calle, Mónica Garnel e Inês Vaz – partiram numa peregrinação a pé, de 26 dias, desde a Sé de Lisboa até Santiago de Compostela. Um caminho de fé que integra o díptico “Caminho Para a Meia Noite”, que Calle irá apresentar com as duas atrizes, ainda este ano, no TBA. Este “Entre o Céu e a Terra” integra este conjunto de projetos, como um primeiro momento de apresentação pública, e com características muito específicas: foi pensado para a conhecida praia naturista da Costa da Caparica, fazendo emergir os espectadores num percurso pelas dunas e pela zona de mata, até ao seu encontro. Mónica volta à reflexão sobre identidade e representação feminina, investindo na marginalidade do seu teatro radical e poético.

Para poucos espetadores, em três sessões diárias, “Entre o Céu e a Terra” leva-nos a um território inominável: “No Apocalipse os demónios arrependidos serão anjos e os anjos culpados serão demónios, ligados , fisicamente, costas com costas” (Fiama Hasse Pais Brandão em “Eu vi o Epidauro”).

 

Direção, interpretação e iluminação: Mónica Calle
Texto: A partir de “Poe ou o Corvo” e “Eu Vi o Epidauro” de Fiama Hasse Pais Brandão
Co-autoria e interpretação: Mónica Garnel e Inês Vaz
Cenografia: Nadir Bonaccorso
Direção de produção: Sérgio Azevedo
Produção executiva: Diogo Machado
Produção: Casa Conveniente/Zona Não Vigiada
Co-produção: BoCA
Residência artística: Comédias do Minho
Fotografias: Bruno Simão

“Entre o Céu e a Terra” é uma comissão da BoCA Bienal de Artes Contemporâneas 2021

Próximos Eventos

ler mais
  • Trouble

    04 fevereiro 2022 — 05 fevereiro 2022
    Comédie - CDN de Reims, Reims

    GUS VAN SANT

    O realizador de cinema Gus Van Sant aventura-se na sua primeira criação de palco com uma equipa portuguesa, um espetáculo de teatro musical inspirado em Andy Warhol e no seu esmagador talento para elevar a ícone as imagens, ao mesmo tempo que escalava como persona e artista a um estatuto de celebridade mundial.

    +
  • Trouble

    12 fevereiro 2022 — 13 fevereiro 2022
    Teatro Calderón, Valladolid

    GUS VAN SANT

    O realizador de cinema Gus Van Sant aventura-se na sua primeira criação de palco com uma equipa portuguesa, um espetáculo de teatro musical inspirado em Andy Warhol e no seu esmagador talento para elevar a ícone as imagens, ao mesmo tempo que escalava como persona e artista a um estatuto de celebridade mundial.

    +
  • A Tralha

    12 maio 2022 — 13 maio 2022
    Teatro Viriato, Viseu

    CAPICUA

    "A Tralha" é um quase monólogo sobre acumulação. Um ensaio sobre o desperdício e a obsolescência em forma de narrativa pessoal. Uma reflexão sobre os objetos que nos rodeiam, que nos servem de extensão, que contêm as nossas memórias e que nos servem de interface com o mundo. Sobre os objetos que manipulamos e com os quais definimos as coreografias que inscrevemos no espaço e as nossas rotinas.

    +