ECOTEMPORÂNEOS
Literatura em espaços verdes

 

Ecotemporâneos partilham um mesmo tempo (contemporâneo) e um mesmo espaço (meio ambiente) em torno da literatura e do lugar.
Em cada sessão, conhecemos a história daquele jardim pelo seu jardineiro, um convidado especial escolhe um livro e apresenta-o na relação com aquele lugar.
Aberto, inclusivo e acessível, as sessões do Ecotemporâneos contam também com um intérprete de Língua Gestual Portuguesa e são produzidos e distribuídos livros em braille, tornando acessível a leitura e o diálogo entre todos.
No ano em que Lisboa é Capital Verde Europeia, a BoCA, em parceria com a EGEAC, continua a desenvolver este projeto que ocupa os espaços verdes da cidade, promovendo a sua acessibilidade e fruição através da literatura. Nas sessões anteriores, contámos com diferentes convidados, tais como Matilde Campilho, Mamadou Ba, Dulce Maria Cardoso, João Pedro Vale & Nuno Alexandre Ferreira, Albano Jerónimo, Capicua, Teresa Villaverde, Julião Sarmento, Mariana Monteiro, Tiago Rodrigues.


Convidada de 27 de Setembro (domingo), 18h: 
Gisela João (fadista)
Livro escolhido: “O Sol e as Suas Flores” de Rupi Kaur
Espaço verde: Quinta da Alfarrobeira (Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica), Lisboa

Lotação limitada à capacidade do espaço com inscrição prévia para info@bocabienal.org

 

Gisela João é uma fadista portuguesa da nova geração. Nasceu em Barcelos, conheceu o fado na rádio e começou a reproduzi-lo para a família, primeiro, para os amigos e vizinhos, depois, em concursos de talentos infantis. Mudou-se para o Porto, queria estudar design de moda. Com 16/17 anos, Gisela foi cantar para a “Adega Lusitana”, em Barcelos. Mas o canto foi mais forte, entrou no circuito marialva da Invicta e ali passou uns anos, acabando por desaguar na Mouraria. E foi aí que a miúda franzina, de voz rouca e poderosa, começou a mostrar ao resto do mundo aquilo que ela mesma diz, nas últimas palavras da última música do seu primeiro disco: «Não é fadista quem quer, mas sim quem nasceu fadista». Em 2008 gravou o seu primeiro álbum a solo “O Meu Fado” – Estúdios Conquista de edição de autor. Em 2009 gravou um álbum com os Atlantihda. É depois um dos nomes convidados no disco de Fernando Alvim. Apontada por Camané como a grande aposta musical para 2013, Gisela João tem pisado palcos em Lisboa, como o Centro Cultural de Belém, a discoteca Lux (primeiro como convidada de Nicolas Jaar e depois num concerto em nome próprio), o Teatro do Bairro, o clube Frágil, O Sr. Vinho, ou a tasca da Bela, em Alfama.


Concepção e direção artística: 
John Romão
Produção executiva: Carolina Forjaz Trigueiros
Produção: BoCA
Co-produção: EGEAC Espaço Público
Apoios: Câmara Municipal de Lisboa, Direção-Geral das Artes, Fundação Millennium BCP

 

Próximos Eventos

ler mais