Descolonizaaaaarte!

Uma conferência de Joacine Katar Moreira / INMUNE

O colonialismo acabou? o machismo acabou? o racismo acabou? o capitalismo acabou? a violência acabou? a pobreza acabou? a chacina acabou? a injustiça acabou? o feminismo acabou? o futuro acabou? a política acabou? a mulher acabou? a vida acabou? tudo acabou? – Aaaaaah!!! Nesta conversa pretende-se descolonizaaaaar  as narrativas contemporâneas e retirar o sujeito negro da situação de desconforto total originado pela sua subalternização histórica, propondo, em primeiro lugar, uma reflexão sobre a arte e a visualidade obrigando a assistência a reinventar novas maneiras de olhar a negritude; e a descolonização da linguagem através da escuta do corpo da mulher negra, visto que a sua voz não tem sido audível.

 

INMUNE – Instituto da Mulher Negra em Portugal

Uma entidade feminista interseccional e anti-racista, constituída por mulheres, de direito privado, sem fins lucrativos, solidário, apartidário, mas não apolítico, que combate o silenciamento das mulheres negras, africanas e afrodescendentes na História e no tempo presente, e promove o empoderamento, a participação social e política de mulheres, a igualdade de direitos, a paridade e a justiça social, fomentando através das suas atividades e reflexões, um ambiente propício à afirmação e valorização da herança e da cultura negra e africana em Portugal.

 

Fotografia: Luís F. Simões
Co-produção: INMUNE, BoCA
Apoio: mala voadora

 

 

Próximos Eventos

ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Patrícia Portela

    27 junho 2021
    Palácio do Marquês de Alegrete

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto que relaciona a literatura com os espaços verdes da cidade de Lisboa. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP e da impressão de livros em braille.

    Convidada: Patrícia Portela (encenadora, escritora)
    Livro escolhido: "As barbas do diabo" Julio Cortázar
    Espaço verde: Palácio do Marquês de Alegrete

    ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Hugo van der Ding

    27 junho 2021
    Casa da Cerca

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto da BoCA que relaciona literatura com os espaços verdes. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP.

    Convidado: Hugo van der Ding (Cartoonista, Cronista)
    Livro escolhido: "Platero e Eu" de Juan Ramón Jiménez
    Espaço verde: Jardim da Casa da Cerca, Almada

    ler mais
  • Na direção da luz

    01 julho 2021 — 31 julho 2021
    Teatro Camões

    HORÁCIO FRUTUOSO

    “Na direção da Luz” é uma intervenção site-specific do artista Horácio Frutuoso para o Teatro Camões, a casa da Companhia Nacional de Bailado, comissiarida pela BoCA. Um conjunto de poemas visuais sugerem uma ideia de movimento, de transformação das palavras e do espaço onde estão instalados pela luz.

    1 a 31 Julho 2021

    ler mais
  • ODETE: ON REVELATIONS AND MUDDY BECOMINGS

    08 julho 2021 — 10 julho 2021
    Av. Brasília, 1300-598 Lisboa

    RExFORM

    A artista Odete é a vencedora da primeira edição do RExFORM – Projeto Internacional de Performance, que nasce da colaboração entre a BoCA e o MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia e tem como intuito promover a criação artística contemporânea.
    A artista propõe uma abordagem crítica ao silêncio histórico em torno das questões do corpo, da identidade de género e do mundo queer. O projeto será apresentado na Sala dos Geradores - MAAT nos dias 8, 9 e 10 de Julho 2021.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO

    09 julho 2021
    Teatro Municipal Baltazar Dias, Funchal

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente. Esta é a primeira presença da BoCA na ilha do Funchal.

    9 Julho 2021

    ler mais