COM ARAM BARTHOLL & OS ESPACIALISTAS

Moderação de Rogério Taveira

 

ARAM BARTHOLL

Nasceu em 1972 (Bremen, Alemanha), estudou arquitetura na UdK – University of the Arts Berlin. Aram Bartholl investiga a relação entre o mundo físico e digital. Um exemplo bem conhecido é a sua escultura em espaço público “Map”, uma grande escultura do local-ícone do Google Map sobre os locais exactos que são indicados pelo Google Maps como o centro da cidade.

Aram Bartholl é membro do grupo Free Art & Technology Lab – F.A.T. Lab. Net politics, o movimento DIY e o desenvolvimento geral da internet têm um importante papel no seu trabalho. Para além de inúmeras conferências, workshops e performances, Bartholl apresentou o seu trabalho no MoMA Museum of Modern Art, The Pace Gallery, Palais Tokyo, Hayward Gallery London, Cultural Center of Nova Gorica (Itália), Kunstakademie Munster (Munique), etc. Os trabalhos mais recentes são “Regeneration movement” no National Taiwan Museum of Fine Arts, Taipei; “Nothing to Hide”, no Kunstverein Arnsberg, Alemanha; “Liquid Identities”, no Lehmbruck Museum, Duisburg; “Hacking Habit”, no Wolvenplein, Utrecht; “Welcome Wutwut Werther”, no Kunsttempel, Kassel; “Shifting Optics”, na Upstream Gallery, Amsterdão, etc.

Foi professor na UCLA Department of Design Media Arts (DMA), em Los Angeles (EUA) e é professor na Universidade de Kassel (Alemanha), no Institute of Nanostructure Technologies and Analytics Technological Electronics.

www.datenform.de

 

OS ESPACIALISTAS

Os Espacialistas é um projecto laboratorial de investigação teórica e prática das ligações entre Arte e Arquitectura com início de actividade em 2008.

Substituem o lápis pela máquina fotográfica, enquanto dispositivo de desenho, de pensamento, de percepção e de diagnóstico do espaço natural e construído, cujas acções são reguladas pelo Diário do Espacialista e auxiliadas pelo “Kit Espacialista Por/táctil” que transportam consigo.

Entre os trabalhos realizados destacam-se: projectos de arquitectura, exposições de fotografia, vídeos, instalações, espaços cénicos, performances, colaborações literárias, ilustrações fotográficas, oficinas, seminários e publicações.

Apresentados em locais tão diversos como o Museu da Electricidade (2008), Galeria Lagar de Azeite (2008), Galeria de Arte Contemporânea Paulo Amaro (2008), Ordem dos Arquitectos – OASRS (2008), Feira de Arte Internacional de Lisboa (2008), Laboratório de Actividades Criativas (2009), Centro Cultural das Caldas da Rainha (2009), Centro Cultural de Belém (2009/2011), Coreto do Jardim da Estrela (2009), Jardim da Torre de Belém (2009), Universidade Lusíada de Lisboa (2009), Centro Nacional de Cultura (2009), Auditório dos Oceanos (2010), Teatro da Trindade (2010), Universidade de Belas Artes do Porto (2010), Teatro do Campo Alegre (2010), Teatro São Luís (2010/2011), Red Bull House Of Art (2011), Circuito Aberto de Arte Pública de Paredes (2012), Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto – FAUP (2013), 17ª Bienal de Cerveira (2013), livro “Atlas do Corpo e da Imaginação” de Gonçalo M. Tavares, Fundação Calouste Gulbenkian (2014/2015), Fábrica da Moagem de Tomar (2014), “Post Architectural Voices” (Espaço Mira, Porto, 2015). Projecto em Exposição: “Os Espacialistas no Palácio” (Março/Abril 2016).

Próximos Eventos

ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Mamadou Ba

    10 abril 2021
    Museu de Lisboa - Palácio Pimenta

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto que relaciona a literatura com os espaços verdes da cidade de Lisboa. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP.

    Convidada: Mamadou Ba (ativista político, tradutor, dirigente SOS Racismo)
    Livro escolhido: "Erosão" de Gisela Casimiro
    Espaço verde: Jardim do Museu de Lisboa (online)

    ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Beatriz Batarda

    17 abril 2021
    Museu de Lisboa - Palácio Pimenta

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto que relaciona a literatura com os espaços verdes da cidade de Lisboa. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP.

    Convidada: Beatriz Batarda (atriz)
    Livro escolhido: "Caderno de Memórias Coloniais" de Isabela Figueiredo
    Espaço verde: Jardim do Palácio Pimenta, Museu de Lisboa (online)

    ler mais