Cecilia Bengolea é uma artista de performance com um interesse particular em antropologias da dança, cujas reflexões são representadas em paradoxas performances, experimentando diversos estilos de dança urbana, como o voguing, o twerk e o dancehall.

Colaborando habitualmente com o François Chaignaud e com artistas visuais como Dominique Gonzalez-Foerster, Jeremy Deller e Damion Wallace, para esta performance a artista colabora com o dj português Nigga Fox, um dos mais reputados produtores da Príncipe, editora responsável pela difusão mundial da batida, música de dança electrónica influenciada pelos ritmos africanos do Kuduru, Tarraxinha ou Kizomba com ritmos ocidentais como o techno ou o House.

A performance “Buss dem head” é concebida como um módulo experimental e nómada, um modo de intervenção todo-o-terreno capaz de invadir as discotecas, a rua, um museu ou uma galeria, fruto de várias idas e voltas de Cecilia Bengolea à Jamaica e de uma relação de longa data com a diversidade das suas expressões coreográficas e musicais.

Esta cultura, nascida nos anos 60 em Kingston, na Jamaica, a partir das mutações do reggae e dos “sistemas de som”, ressoa como um grito de revolta, uma resistência à opressão social das classes mais pobres.

Em “Buss dem head”, Cecilia Bengolea e Damion BG Dancerz exploram a variedade, a complexidade e a virtuosidade destes estilos que transportam pedaços de história (Reggae Old School, Dancehall Gangsta) mas nesta colaboração com Nigga Fox, que reúne na sua música as tradições musicais da diáspora africana através da experimentação eletrónica, é garantida uma explosão de ritmos e de referências que nos vão deixar de rastos.

 

Conceção Cecilia Bengolea
Coreografia e interpretação Cecilia Bengolea, Damion Wallace
DJ Nigga Fox
Produção Vlovajob Pru
Co-produção BoCA
Apoios Delta Q, Lux/Frágil
Apoio à apresentação Institut Français / Embaixada de França – Apoio no âmbito do foco sobre a criação contemporânea francesa em 2017

 

Biografias

 

Próximos Eventos

ler mais
  • O CARRO FALANTE

    16 junho 2024 — 18 junho 2024
    Wiener festwochen

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +
  • TERRA COBRE

    18 julho 2024 — 19 julho 2024
    Festival dos Canais

    JOÃO PAIS FILIPE & MARCO DA SILVA FERREIRA

    Nova criação do artista sonoro João Pais Filipe e do dançarino Marco da Silva Ferreira que cruza a arte chocalheira tradicional da vila de Alcáçovas, no Alentejo, com práticas artísticas contemporâneas.

    +
  • O Carro Falante

    06 setembro 2024 — 07 setembro 2024
    Nowy Teatr

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +
  • O Carro Falante

    09 outubro 2024 — 10 outubro 2024
    HAU Berlim

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +