Portugal | Performance

 

O projeto de Pedro Barateiro, “A Viagem Invertida”, é uma performance comissionada pela BoCA em 2019 e que colocou Pedro Barateiro a trabalhar no palco na Sala Garrett do TNDMII. A performance é agora apresentada no contexto da exposição “En Caída Libre”, com curadoria de João Laia, na Caixa Forum Barcelona.
Tendo como paisagem a exploração das minas de lítio em Portugal, “A Viagem Invertida” é uma performance inspirada no livro “Queda sem fim, seguido de Descida de Maleström, de Edgar Allan Poe”, escrito por José A. Bragança de Miranda.
O lítio é o componente principal na fabricação de baterias de computadores, tablets e telemóveis, mas é também utilizado para tratar estados de depressão e bipolaridade, como estabilizador de humor. Recorrendo à substância e às suas utilizações, o projeto representa um mapa da condição contemporânea, iluminando a forma como diferentes narrativas se conectam e contrariando a sua apresentação habitual como fenómenos independentes. Entre as questões abordadas incluem-se a inscrição do modelo económico actual na história do colonialismo e a relação de ambos com o passado e o presente do extrativismo material e simbólico. É também examinada a forma como estas dinâmicas participam da atual situação de emergência ecológica e humanitária.

Concepção, texto, vídeo, interpretação Pedro Barateiro
Composição musical Raw Forest (Margarida Magalhães)
Produção BoCA
Co-produção Teatro Nacional D. Maria II
Agradecimentos André Guedes, Miguel Pereira, Sofia Matos, Companhia Olga Roriz, Construções Sampaio
Fotografias: Bruno Simão
Apoio à apresentação em Santiago do Chile: Instituto Camões / Embaixada de Portugal em Santiago do Chile
Apoio à internacionalização: Direção-Geral das Artes / Ministério da Cultura
Apoio logístico e técnico: Matucana 100, Vaivém

> Em breve será anunciada uma masterclass do artista em Santiago do Chile

Próximos Eventos

ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO / Buenos Aires

    04 dezembro 2019
    Centro Cultural San Martín, Buenos Aires

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a bienal BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente.

    ler mais
  • COMO FAZER UMA MÁSCARA / Buenos Aires

    04 dezembro 2019
    Centro Cultural San Martín, Buenos Aires

    PEDRO BARATEIRO

    A performance "Como Fazer uma Máscara" de Pedro Barateiro é um monólogo, acompanhado por um conjunto de imagens projectadas, em que o artista tenta pensar a questão da máscara, através de dispositivos de linguagem e imagem e exemplos que vão da história do teatro ocidental a testes de personalidade.

    ler mais
  • Hard to be a god / Bangkok

    06 dezembro 2019 — 07 dezembro 2019
    Neilson Hays Library / Bangkok

    JOHN ROMÃO & ROMEU RUNA

    Depois da sua estreia mundial no contexto da BoCA 2017, em Lisboa, a performance “Hard to be a god” continua a sua circulação internacional e viaja agora até Bangkok. Os espectadores observam a performance através de uma janela de vidro que separa a ação de seu próprio corpo (protegido), como se fosse uma tela, enquadrando a ação exterior. Uma luta entre a natureza - em todo o seu esplendor - e a tecnologia.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO / Santiago do Chile

    07 dezembro 2019
    Matucana 100, Santiago do Chile

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a bienal BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente.

    ler mais
  • Cattivo

    18 fevereiro 2020 — 23 fevereiro 2020
    São Luiz Teatro Municipal, Lisboa

    MARLENE MONTEIRO FREITAS

    Na edição BoCA 2019, a bailarina e coreógrafa Marlene Monteiro Freitas transgrediu a sua prática e criou “Cattivo”, a sua primeira (mega) instalação composta por centenas de estantes de partitura, que são exploradas até ao limite das suas propriedades expressivas. Assistimos à capacidade de encarnarem estados emocionais e de tomarem decisões, manipulando-se a si mesmas e a outros objetos. Agora é a oportunidade única de descobrir a adaptação desta criação ao SLTM.

    ler mais